a

Amantes da leitura

Amantes da leitura

Pensando no ato de ler, aventuro-me em fazer uma declaração para a importância da leitura em nossas vidas. Não desejo aqui colocar ideias antigas e sabidas do quão é indispensável o hábito de ler para a vida escolar e profissional, sendo um meio certo para o aumento de conhecimentos gerais ou específicos. Para mim, isso não basta. Ler é mais do que isso. Muito mais do que decodificar palavras em série, capítulos seguidos ou incontáveis coleções. Ler é mais do que passar os olhos pelas manchetes de jornais, cartões de namorados, bilhetes, declarações, documentos, propagandas. Aprender a ler amplia nossa capacidade de ler a vida.

É preciso que tomemos consciência de que nossa imaginação é infinita, o que nos possibilita diante da leitura realizada, dependendo do leitor, viajar mais do que o próprio autor nos propõe.

Existe uma nítida diferença entre os amantes da leitura e os outros. Os primeiros olham além do conteúdo do livro, não se limitam a ver palavras, eles percebem as mensagens explícitas, implícitas e divagam sobre seus pensamentos, comparam suas experiências com as histórias ou conteúdos lidos, assim procuram respostas ou as encontram. Entregam-se, percebem aspectos da vida que antes não eram notados. Conseguem opinar a favor ou contra um determinado assunto, trabalhando o poder de argumentar dentro deles. Os outros não, eles verificam as manchetes, lêem um ou outro artigo, livro, mas não mudam seu pensamento. Impedem esse relacionamento. Limitam se a cumprir a tarefa exigida sem senti-la. Acha isso difícil? Pois não é. Neste momento é que percebemos a grande dificuldade de compreensão depois da leitura. Ninguém entende se não se envolve.

Cada um lê com o repertório cultural que possui. Dizer que cada ser é único, parece clichê, mas é a mais pura verdade. As pessoas tendem a procurar nos livros aquilo que lhes reflete interiormente e a partir do que vivem, pensam, descobrem, conversam, ainda a partir dos filmes que assistem, das histórias vividas e de qualquer conteúdo que aprendem, refletem de maneira muito mais ampla sobre o texto lido.

É certamente através da leitura que a pessoa desenvolve sua inteligência, o entendimento do mundo que o cerca, esclarecendo sentimentos e resolvendo problemas. Assim como uma grande companhia, a leitura nos faz sonhar, criar, imaginar, desenhar, viajar, chorar, desesperar, ter medo, achar soluções, enfim, nos faz começar a compreender a vida partindo de nós mesmos.

Falar em hábito fica muito frio e distante, pois hábitos temos por atividades mecanizadas como: tomar banho, comer, dormir de bruços etc. O amor pela leitura tem que ser encarado como algo essencial para a vida. Não conheceríamos o século passado, os grandes pensadores e personalidades se não existissem registros para serem lidos.

Diante desta reflexão, posso concluir que ler é ampliar nosso mundo interior envolto em magias surpreendentes e , se nos apaixonarmos por este ato,  teremos  mundos (interior e exterior) transformados. Não é minha intenção dar regras para se ensinar a leitura, pois não acredito em regras para isso. Entretanto, existe um caminho: AMOR! Essa é a palavra certa: amor pelos livros (cheiro, formato, capa, gravuras, palavras) e pela leitura. As pessoas só aprendem ler com quem AMA ler.

Andrea De Laurentiis Ricci Peres

Graduada em Letras e pós-graduada em Didática pela Universidade Metodista de Piracicaba.

Pós-graduada em Didática do Ensino Superior pela Universidade Metodista de Piracicaba.

Não há comentários, seja a primeira a comentar!

Postar comentário