Barriga Inchada? Descubra o que pode ser!

Barriga Inchada? Descubra o que pode ser!

Barriga Inchada? Descubra o que pode ser!

 

Atire a primeira pedra a mulher que nunca ficou chateada depois de provar uma roupa linda e justinha da vitrine e acabar não comprando porque ficou decepcionada com uma barriguinha saliente e globosa que viu no espelho. Pelo menos uma vez na vida, isso já aconteceu a qualquer uma de nós e, hoje mais do nunca, a aparência do abdômen é um dos fatores que mais impactam na autoestima feminina por ser um quesito estético muito relevante no padrão de beleza atual.

A distensão abdominal, popularmente conhecida como “inchaço na barriga” é um problema muito comum entre as mulheres, mas pouco compreendido por muitos que sofrem. Existem a distensão que persiste por dias seguidos e a relâmpago, que “surge do nada” muito rapidamente.

No geral, as causas mais comuns são: constipação, intolerâncias alimentares, gases em excesso, retenção de líquido própria do período pré-menstrual, perturbação na microbiota intestinal (disbiose), má digestão, síndrome do intestino irritável, dentre outras.

Vale observar seus sintomas e tentar correlacionar com alguns alimentos que mais comumente causam este quadro, como feijão, banana, repolho, brócolis, couve-flor, arroz integral, leite e aqueles alimentos feitos a partir do trigo (incluindo a cerveja!).

E isso significa que quem sofre desse problema não deve consumir nenhum desses produtos? Depende, seria válida uma avaliação mais profunda até mesmo para saber se o preparo desses alimentos está sendo feito de maneira adequada.

Outros pontos para prestar atenção: você está ingerindo a quantidade de água necessária para o bom funcionamento do seu organismo? Isso mesmo! Tão simples, mas a baixa ingestão hídrica é a causa mais comum de constipação (intestino preso), o que deixa o abdômen sensível e globoso, sem contar o mau humor! Invista em fibras (frutas, verduras, grãos) para melhorar o funcionamento intestinal.

Vale se atentar também para condições do cotidiano que influenciam no equilíbrio da microbiota intestinal. O uso de antibióticos é um exemplo, pois apesar de ser indispensável, demanda alguns cuidados para que não se eliminem microrganismos benéficos ao bom funcionamento do trato digestivo. A simples troca de açúcar por qualquer adoçante ou o consumo destes produtos em alimentos ultraprocessados sem açúcar também é outro fator que perturba o funcionamento adequado da microbiota.

A atividade física, exercício físico ou simplesmente movimentação suficiente (chame como quiser, mas mexa-se!) ajuda a regular o funcionamento intestinal e ajuda a prevenir as oscilações desagradáveis da circunferência abdominal.

Reflita sobre seu estilo de vida e consulte um profissional sempre que julgar necessário.

 

Laísa Ribeiro

Nutricionista pós-graduada em Nutrição Clínica e Terapia Nutricional

Mestre pela Faculdade de Saúde Pública da USP

CRN-3 33606

Contatos: laisaribeiro@gmail.com / @nutrifarofa / (19) 3328-3776

Não há comentários, seja a primeira a comentar!

Postar comentário