Adolescência e o desafio na escolha da faculdade

                                             

Chega um momento na vida em que não somos mais crianças, também não somos adultos, é uma fase de grande transformação, em que será necessário fazer a passagem por um caminho cheio de dúvidas , de validação pelos grupos sociais, de aceitação, de conflitos, de questionamentos na tentativa de se entender, de conquistar a individualidade, de explorar capacidades.

A adolescência chega chegando, e com o tempo, descobre-se que todas as questões tem solução, cedo ou tarde, aprende-se a lidar melhor com o corpo, com os sentimentos, com os relacionamentos, com as próprias expectativas , com o estudo e também com a escolha da profissão e da faculdade.

Pesquisas da neurociência apontam que entre os principais desafios para o jovem escolher uma carreira, estão algumas características comuns da fase como a impulsividade, o imediatismo, a dificuldade de pensar a longo prazo, planejar e esperar para só mais tarde obter resultados e lidar com a incerteza em relação ao futuro, porque ao escolher uma faculdade ou profissão, como prever que realmente vai dar certo?

É preciso ter em mente que escolher bem, é uma questão de felicidade, pois como levantar todos os dias e reunir forças para estudar ou trabalhar com algo que não o realiza?

Para superar a indecisão, e construir um repertório com direção, precisa de esforço para refletir, se conhecer, pesquisar, contar com ajuda dos pais para leva-los em feiras, em universidades de portas abertas, dialogar sobre possibilidades e profissões, não basta apenas olhar para os modismos do mercado de trabalho, pois o mercado não absorve quem não mostra talento para a carreira e decidir pela opinião dos outros também é um erro, pois caso a carreira não dê certo, irá culpar alguém pelo resto da vida.

Descobrir tudo que gosta e não gosta, identificar seus sonhos ou brincadeiras de criança sobre alguma profissão, indagar-se sobre o que ama fazer , o que faz bem feito e recebe elogios, suas paixões secretas, seus valores pessoais, e escolher algo com base no que realmente gosta, que tenha um propósito maior do que somente a realização financeira, pois quando estiver colocando em prática seus talentos, o reconhecimento e consequentemente o retorno financiamento acontece como efeito.

Lembre-se não basta sonhar, precisa desenvolver o potencial! Oportunidades não são uma questão de sorte, mais sim de preparo e assim começa um novo desafio: os vestibulares.

Uma vez que tem em mente a formação, o próximo passo é identificar as faculdades que tenham seu curso de interesse. Onde cursar? Quanto tempo dedicado aos estudos para ser aprovado? Todos esses pontos devem ser observados para fazer uma escolha consciente.

Vamos falar de decisão? Para esclarecer, decisão é uma palavra determinista, decidir o futuro como algo imutável, não cabe nos tempos de hoje. Vivemos em tempos voláteis, muitas profissões mudam, algumas deixam de existir, e muitas outras se criam, portanto, é preciso ser flexível para mudanças e por isso, qualquer formação hoje em dia é continuada, ou seja, fazemos uma formação de base e vamos buscando aperfeiçoamento para nossa carreira. E algumas pessoas têm talentos múltiplos em áreas distintas. Por esses fatores, não podemos falar em escolhas definitivas.

Com todo esse cenário vivido recentemente, apoiar, manter a firmeza, o respeito mas também o amor e proximidade, pode ser o caminho para um bom reflexo na relação e compreensão de nossos adolescentes, não deixemos que se percam dos valores familiares, do propósito de um saber e fazer profissional ético, responsivo para com a sociedade.

Por Kelly Albrecht

Psicóloga e Coach de jovens e adolescentes

Não há comentários, seja a primeira a comentar!

Postar comentário